COE discute atual situação de Paranavaí e próximas medidas a serem tomadas
CATEGORIA: COMUNICAÇÃO - 11 DE MAIO 2020

  540
COE discute atual situação de Paranavaí e próximas medidas a serem tomadas

A reunião desta segunda-feira (11) do Comitê de Operação Emergencial (COE) de Paranavaí trouxe um balanço de como está a situação do município no enfrentamento à pandemia do novo Coronavírus (Covid-19).

 

A Santa Casa de Paranavaí é responsável por atender toda a região da Amunpar (Associação dos Municípios do Noroeste do Paraná), que é composta por 28 municípios. “Hoje, os pacientes de Paranavaí que estão internados na Santa Casa são três na UTI e um na enfermaria. Mantemos um controle da quantidade de pacientes que entram e saem do hospital, quantos casos temos confirmados, as pessoas que estão suspeitas e possíveis comunicantes. Tudo isso para que possamos manter a cidade funcionando e evitar desastres ainda maiores na saúde e também na economia”, disse a secretária de Saúde, Andréia Vilar.

 

A última flexibilização deliberada pelo COE foi para abertura de restaurantes e lanchonetes. “Estamos aguardando completar os 15 dias da abertura dos restaurantes e lanchonetes para fazermos um balanço e verificar se houve aumento no número de casos ou não. Enquanto isso, manteremos a cidade da maneira que ela está, porém, havendo um aumento significativo no número de internamentos, poderemos fechar alguns setores”, explica o prefeito KIQ.

 

Havia a expectativa de que o Governo do Estado liberasse um novo decreto flexibilizando a abertura de academias, shoppings e igrejas, porém, ainda não houve um novo posicionamento. “Enquanto o Estado não se manifestar, não poderemos fazer nada, pois há um decreto exigindo o fechamento destes estabelecimentos. Quando o Estado permitir a flexibilização, vamos discutir no COE como permitiremos o retorno destas atividades em Paranavaí”, completou KIQ. 

 

O COE também alertou na reunião desta segunda-feira sobre a facilidade de contágio do vírus, como ele reage de maneira diferente em cada pessoa e não há idade para contrair a doença. “Em alguns casos a evolução aconteceu de maneira muito rápida. Pessoas que estavam se sentindo bem, de repente apresentaram um quadro clínico ruim e já foram direto para a UTI. Tudo ainda é muito novo, por isso, pedimos às pessoas que realmente tiverem sintomas como febre, tosse e falta de ar para que procurem a Santa Casa, UPA ou UBS Centro”, finalizou Andréia.
 

 

 



© COPYRIGHT 2017 - CNPJ: 76.977.768/0001-81 - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.