"Cuidar da água agora é proteger as gerações futuras", avalia secretário de Meio Ambiente
CATEGORIA: MEIO AMBIENTE - 22 DE MARçO 2018

  138
"Cuidar da água agora é proteger as gerações futuras", avalia secretário de Meio Ambiente

“É urgente que as pessoas comecem a pensar na importância de se preservar a água, as áreas de manancial, nascentes, etc. As próximas gerações não pode pagar pelo descaso e desrespeito com a natureza. Cuidar da água agora é proteger as gerações futuras”, avalia o secretário de Meio Ambiente, Ramiro Kulevicz, em lembrança o Dia Mundial da Água, comemorado anualmente em 22 de março por indicação da ONU (Organização das Nações Unidades).

 

Este ano, o tema escolhido pela ONU para marcar a data é o uso de soluções baseadas no meio ambiente para resolver problemas de gestão dos recursos hídricos. Com a campanha “A resposta está na natureza”, as Nações Unidas aborda como as estratégias de preservação e restauração ambiental podem proteger o ciclo da água e melhorar a qualidade de vida da população.

 

Em Paranavaí, a Secretaria de Meio Ambiente está programando um evento para a próxima semana. Será um mutirão de limpeza e recuperação da nascente localizada no Bosque Municipal e uma visita aos ribeirões da cidade para verificar as condições das matas ciliares e a situação de descartes irregulares de lixo nestas áreas.

 

Números - Atualmente, 1,8 bilhão de pessoas consomem água de fontes que não são protegidas contra a contaminação por fezes humanas. Mais de 80% das águas residuais geradas por atividades do homem — incluindo o esgoto caseiro — são despejadas no meio ambiente sem ser tratadas ou reutilizadas. Até 2050, a população global terá aumentado em 2 bilhões de indivíduos, e a demanda por água poderá crescer até 30%.

 

A agricultura é responsável por 70% do consumo de recursos hídricos — a maior parte vai para a irrigação das plantações. A participação do setor agrícola aumenta em áreas com maior densidade populacional e falta d’água. O campo é seguido pela indústria, que responde por 20% da água utilizada em atividades humanas. O uso doméstico representa apenas 10% do consumo total, e a proporção de água potável que é bebida pela população equivale a menos de 1%.

 

Com as transformações do clima e a manutenção de padrões insustentáveis de produção, a poluição e a desigualdade na distribuição vão se agravar, bem como os desastres associados à gestão da água.

 

Hoje, 1,9 bilhão de indivíduos vivem em áreas que poderão ter escassez severa de água. Até 2050, o número pode chegar a cerca de 3 bilhões. A quantidade de pessoas em zonas de risco para enchentes também aumentará, passando do atual 1,2 bilhão para 1,6 bilhão, o que representará 20% da população mundial em 2050. Aproximadamente 1,8 bilhão de pessoas já são afetadas pela degradação da terra e pelo fenômeno conhecido como desertificação.

 

Anualmente, a erosão do solo desloca de 25 bilhões a 40 bilhões de toneladas de camadas vegetais — o que reduz de forma significativa a produção das safras e a capacidade da terra de regular quantidades de água, carbono e nutrientes. Os rejeitos escoados do solo erodido, contendo nitrogênio e fósforo, são um dos principais poluentes dos recursos hídricos. Fonte: ONUBr 

 

 



© COPYRIGHT 2017 - CNPJ: 76.977.768/0001-81 - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.