Município recuperou quase 1.000 km de estradas rurais em 2017
CATEGORIA: AGRICULTURA - 12 DE JANEIRO 2018

  306
Município recuperou quase 1.000 km de estradas rurais em 2017

Com quase 1.000 quilômetros de estradas rurais recuperadas, a Secretaria de Agricultura de Paranavaí ajudou os produtores rurais e resolveu problemas históricos em 2017. Diariamente, equipes estão fazendo trabalhos para atender as necessidades pontuais de cada estrada e o resultado até o momento tem sido surpreendente. Em um ano, foram recuperados (em serviços de manutenção) mais de 800 km e readequados mais de 120 km.

 

A secretaria fez um levantamento real da situação das estradas, abriu licitações e contratou horas máquinas para poder dar a manutenção necessária. Segundo o secretário de Agricultura, Tarcísio Barbosa de Souza, o resultado positivo se deve ao planejamento minucioso feito pela equipe. “Primeiro nós fizemos um levantamento detalhado para definir os níveis de prioridade do cronograma de prestação de serviços. Foram levados em conta os itens de trafegabilidade, manutenção, impacto ambiental e necessidade de readequação. Também fizemos uma licitação para recuperação de máquinas, locamos horas máquinas e reassumimos em março a parte de execução das estradas rurais”, explicou.

 

Houve casos de estradas que estavam interditadas há quase três anos, mas que agora estão em ótimas condições de uso para a população. A estrada Curva da Areia, no trecho que liga a estrada do Cristo Rei ao Alto Café, é um dos exemplos. “As pessoas estavam impossibilitadas de trafegar pela estrada, e isso era muito prejudicial. Os produtores rurais que residem e/ou possuem propriedade rural na região tinham muita dificuldade para se deslocar, mas conseguimos resolver o problema. A Prefeitura é responsável pela manutenção das vias públicas rurais e temos feito grandes esforços para deixá-las em boas condições. O serviço de readequação da estrada foi realizado de forma integral, com adequação e correção do leito da estrada, quebra de barrancos, recuperação das áreas degradadas e recuperação dos danos ambientais causados pelas erosões no Ribeirão Água Nova, contribuindo assim para preservação dos recursos hídricos do município”, disse Tarcísio.

 

Estradas como a do Cristo Rei, Campina Água Boa Ventura, Água São Pedro, Coroa do Frade e Pilão já foram readequadas. “Conseguimos recuperar diversas estradas e continuamos trabalhando em outras frentes. Temos atendido conforme nossa disponibilidade de maquinário os pedidos dos produtores rurais. As estradas estão niveladas e mais espaçosas, com isso, o tráfego melhorou consideravelmente”, ressalta Tarcísio.

 

Parque Tecnológico de Agroinovação – Durante todo o ano de 2017, a Prefeitura de Paranavaí, o Instituto Agronômico do Paraná (IAPAR) e demais parceiros no projeto conseguiram fazer a implantação do escritório do projeto na sede do IAPAR, a definição da equipe executiva para elaboração do projeto, e a implantação do comitê gestor.

 

Para o desenvolvimento do projeto, o IAPAR está disponibilizando duas salas em sua sede de Paranavaí para que servidores possam trabalhar. Portanto, os trabalhos já se iniciam efetivamente em 2018. A intenção, segundo os desenvolvedores do projeto, é chegar ao fim com uma Lei Municipal, Conselho Municipal e Fundo Municipal de Inovação constituídos, o que tornaria Paranavaí referência em inovação. 

 

O projeto visa acelerar o desenvolvimento tecnológico da cadeia produtiva de mandioca e citros, gerando mais empregos e ampliando o mercado de trabalho. A expectativa é de que, até o fim de 2018, todos os planos e propostas estejam alinhados para que a construção do Parque seja iniciada.

 

Restaurante popular – No fim de 2017, uma equipe da Prefeitura esteve na Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Paraná (SEAB) para discutir a liberação da construção do Restaurante Popular. Já está assegurada a vinda do restaurante, agora basta vencer os trâmites burocráticos. “Há uma garantia de que o projeto de Paranavaí vai ser contemplado. Não possuímos uma data certa, mas há uma boa chance de sair ainda no primeiro semestre de 2018. O projeto está na fase das correções (que foram solicitadas) e depois disso precisamos apenas aguardar a liberação”, afirmou Tarcísio.

 

Estrada do Campo – Em outubro, uma obra de grande importância para o distrito do Sumaré foi inaugurada: a pavimentação de aproximadamente 3 quilômetros da Estrada do Campo, no trecho que vai do acesso ao Distrito do Sumaré até o Recanto Dom Bosco, de propriedade da Comunidade Católica Emanuel. A obra teve investimentos de quase R$2 milhões, com 95% da obra sendo custeada pelo Governo do Estado, e 5% de contrapartida do município.

 

Horta no asilo Lins de Vasconcelos – Logo no início de 2017 a secretaria se dispôs a ajudar o asilo, trabalhando com uma patrulha mecanizada e implementos agrícolas para preparar o solo para o plantio. Além disso, servidores também ajudaram na mão de obra e assistência técnica no cultivo de hortaliças. Ou seja, depois de feita a preparação do solo, o acompanhamento técnico e o projeto de irrigação, as primeiras hortaliças foram plantas, colhidas, consumidas, e algumas delas foram inclusive vendidas à população.

 

“As verduras colhidas foram utilizadas para alimentação dos próprios moradores do asilo. A produção começou a render mais do que o esperado e eles conseguiram vender parte desses produtos para conseguir recursos extras. Esse trabalho da secretaria em parceria com o asilo foi extremamente interessante e está rendendo bons resultados”, avaliou o secretário.

 

Além do asilo, a secretaria também fez o preparo de solo para cultivo agrícola para 109 pequenos produtores rurais.

 

Recursos para microbacias – Através do programa de gestão do solo e água em microbacias do Governo do Estado, a Secretaria de Agricultura está pleiteando R$ 286 mil para recuperar e manter a capacidade produtiva dos recursos naturais para as microbacias Mirassol e Boaventura. Para esse projeto, a secretaria conta com as parcerias da Emater, Adapar e Sanepar.

 

Para 2018, além de realizar os serviços de manutenção, a secretaria já tem cadastrado um pedido de aprovação de projeto para comprar uma pá carregadeira no valor de R$ 313 mil.

 

 

Galeria de Fotos





© COPYRIGHT 2017 - CNPJ: 76.977.768/0001-81 - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.